Retrato de Francisco Franco, enquanto Generalíssimo e Chefe de Estado de Espanha
Retrato de Francisco Franco, enquanto Generalíssimo e Chefe de Estado de Espanha

Francisco Franco Bahamonde nasceu em Ferrol, no dia 4 de Dezembro de 1892, ficando para a História como o fundador do Franquismo e ditador de Espanha, durante o século XX.

Nascido Francisco Paulino Hermenegildo Teódulo Franco y Bahamonde Salgado Pardo de Andrade na cidade galega de Ferrol, estudou na Academia de Infantaria de Toledo e, entre 1912 e 1917, distingue-se nas campanhas da zona espanhola de Marrocos.

Após uma estadia de três anos em Oviedo, volta a Marrocos, destacando-se pelo valor e frieza em combate. Aos 34 anos, alcança o grau de General de Brigada, e, entre 1928 e 1931, dirige a Academia Militar de Saragoça.

No dia 17 de Julho, voa das Canárias até Marrocos, iniciando a revolta da guarnição e tornando-se comandante das tropas aí estacionadas.

Mais tarde, cruza o Estreito de Gibraltar com poucos meios (alguns aviões cedidos por Mussolini e Hitler, também navios pequenos) e avança até Madrid por Mérida, Badajoz e Talavera de la Reina. Apodera-se rapidamente da direcção militar e política da guerra.

Em Abril de 1937, une os partidos de Direita e coloca-se à frente da nova organização como «caudillo». Em Janeiro de 1938, converte-se em Chefe de Estado e do Governo, de índole fascista. Anos mais tarde, diz que apenas presta contas da sua actividade «perante Deus e perante a história».

Terminada a guerra civil, Franco esforça-se na reconstrução do país. Não só não quer contar com os vencidos para esta tarefa, mas também a repressão e os fuzilamentos prolongam-se durante uma década. Cria um Estado Católico, autoritário e corporativo que recebe o nome de Franquismo. Apesar das suas estreitas relações com a Alemanha e a Itália, mantém a neutralidade espanhola durante a Segunda Guerra Mundial.

Após o fim da Segunda Guerra, os vencedores (Aliados) põem de parte o regime espanhol. Em 1953, Franco inicia relações diplomáticas com os Estados Unidos da América e, em 1955, o regime de Franco é reconhecido pela ONU.

Mais tarde, em 1966, cria uma nova Constituição (Lei Orgânica do Estado) e três anos mais tarde apresenta às Cortes, como sucessor a título de rei, o príncipe Juan Carlos, neto de Afonso XIII. Em Junho de 1973, cede a presidência do governo ao seu mais directo colaborador, Luís Carrero Blanco.

A morte de Luís num atentado, poucos meses depois, é o princípio da decomposição do regime. Franco morre após longa doença num hospital de Madrid, no dia 20 de Novembro de 1975.

Generalíssimo Francisco Franco