Nascido Viatcheslav Mikhailovitch Scriábin, em Sovietsk, no dia 9 de Março de 1890, Molotov destacou-se enquanto Ministro de Relações Exteriores da União Soviética entre 1939-1949 e 1953-1956, e membro do Politburo, núcleo duro da União Soviética e do Partido Comunista.

Nesta capacidade, assinou o famoso Pacto Molotov-Ribbentrop ou Pacto Nazi-Soviético, um tratado de não-agressão entre a Alemanha Nazi e a União Soviética, chocando o mundo.

Porém, com a morte de Estaline, Molotov iniciou uma trajectória descendente no Partido Comunista, tendo sido afastado de funções governativas em 1957 e enviado para diversos cargos no estrangeiro, até à sua expulsão, em 1962.

Na cultura popular, o seu nome ficou associado ao cocktail molotov, um dispositivo incendiário artesanal de arremesso, muito utilizado em tácticas de guerrilhas urbanas.

Segundo a tradição, esta associação surge durante a Guerra de Inverno, da União Soviética contra a Finlândia: quando acusados de atacarem este país com bombardeamentos, Molotov defendeu dizendo que as forças armadas soviéticas estavam simplesmente a “atirar ajuda alimentar”.

Já desacreditado e longe da cena política, Molotov viria a falecer no dia 8 de Novembro de 1986.

Viacheslav Molotov – O Diplomata Quente