Sidónio PaisSidónio Bernardino Cardoso da Silva Pais nasceu em Caminha, dia 1 de Maio de 1872 e veio a falecer assassinado em Lisboa, no dia 14 de Dezembro de 1918. Foi o quarto presidente da República Portuguesa, sendo conhecido com o Presidente-Rei.

Sidónio foi oficial de Artilharia e também professor na Universidade de Coimbra, onde leccionou Cálculo Diferencial e Integral.

Teve ideais republicanos desde que frequentou a Universidade, ainda durante a monarquia. Como muitos dos republicanos, as suas ideias políticas estavam associadas à maçonaria.

Depois da implantação da República, desempenhou vários cargos políticos como o de deputado, Ministro do Fomento no governo de João Chagas, Ministro das Finanças no governo de Augusto de Vasconcelos Correia, e Ministro de Portugal em Berlim, onde se estabelece até que, em 9 de Março de 1916 volta para Portugal com a declaração de Guerra, por parte da Alemanha.

Sidónio PaisA 5 de Dezembro de 1917 lidera um golpe de estado. Mais tarde, a 27 de Dezembro toma funções como presidente da República, indo a votos posteriormente. O mandato legitimado pelo sufrágio tem início a 9 de Maio de 1918.

Tem, desde cedo, uma atitude ditatorial. Começa por alterar a lei eleitoral à sua vontade, sem ouvir o Congresso. Também altera as leis já estabelecidas sobre a separação do Estado e da Igreja.

Entretanto, as tropas portuguesas são destruídas na Batalha de La Lys (consultar um post sobre essa batalha). A contestação social no país aumenta. Sofre um atentado, a que sobrevive, no dia 5 de Dezembro de 1918. O mesmo não acontecerá na Estação do Rossio, onde é morto a tiro, ia 14 de Dezembro de 1918, por José Júlio da Costa.

Sidónio Pais