Manuel Du BocageManuel Maria de Barbosa l´Hedois Du Bocage nasceu na linda cidade de Setúbal, a 15 de Setembro de 1765 e morreu Lisboa, no dia 21 de Dezembro de 1805.

Bocage foi um poeta português e, possivelmente, o maior representante do arcadismo lusitano. Embora ícone deste movimento literário, é uma figura inserida num período de transição do estilo clássico para o estilo romântico que teve forte presença na literatura portuguesa do século XIX.

A sua infância foi infeliz. O pai foi preso por dívidas ao Estado quando ele tinha seis anos e permaneceu na cadeia seis anos. A sua mãe faleceu quando tinha dez anos. Tornou-se praça como voluntário em 22 de Setembro de 1781 e permaneceu no Exército até 15 de Setembro de 1783. Nessa data, foi admitido na Escola da Marinha Real, onde fez estudos regulares para guarda-marinha. No final do curso desertou, mas, ainda assim, aparece nomeado guarda-marinha por D. Maria I.

Nessa altura, já a sua fama de poeta corria por Lisboa.

Estátua em homenagem a BocageNo dia 14 de Abril de 1786, embarcou como oficial de marinha para a Índia, na nau “Nossa Senhora da Vida, Santo António e Madalena”, que chegou ao Rio de Janeiro em finais de Junho. Fez escala na Ilha de Moçambique e chegou à Índia a 28 de Outubro de 1786. Em Pangim, frequentou de novo estudos regulares de oficial de marinha. Foi depois colocado em Damão, mas desertou, embarcando para Macau.

Estranhamente, nunca foi punido e deverá ter regressado a Lisboa em meados de 1790.

Ainda em 1790 foi convidado e aderiu à Academia das Belas Letras ou Nova Arcádia, onde adoptou o pseudónimo Elmano Sadino. Mas passado pouco tempo escrevia já ferozes sátiras contra os confrades. Em 1791, foi publicada a 1ª edição das “Rimas”.

Bocage foi preso pela Inquisição e internado no Hospício de Lisboa, onde permaneceu até 1798.

Desde essa data até à sua morte, trabalhou em várias traduções e produziu magníficas obras literárias.

Bocage