Vasco da GamaVasco da Gama nasceu em Sines, no ano de 1469 e morreu em Cochim, na Índia, a 24 de Dezembro de 1524.

Filho do alcaide-mor de Sines, Estevão da Gama, o rei D. Manuel I confiou-lhe o comando da frota que, a 8 de Julho de 1497, zarpou do Rio Tejo em busca da Índia, com 150 homens entre marinheiros, soldados e religiosos, distribuídos por quatro pequenas embarcações:

  • São Gabriel, feita especialmente para esta viagem, comandada pelo próprio Vasco da Gama;
  • São Rafael, também feita especialmente para esta viagem, comandada por Paulo da Gama, irmão do capitão-mor;
  • Bérrio, rebaptizada como São Miguel, mas que continuou a ser conhecida pelo seu nome original, sob o comando de Nicolau Coelho;
  • Uma pequena naveta para transporte de mantimentos, sob o comando de Gonçalo Nunes, que foi queimada perto da baía de São Brás, na costa oriental africana.

Vasco da GamaNo dia 2 de Março de 1498, completando o contorno da costa africana, a armada portou em Moçambique, depois de ter sofrido medonhos temporais e de Vasco da Gama ter sufocado, com mão de ferro, uma revolta dos marinheiros.

O piloto que o sultão da Ilha de Moçambique lhe deu para o conduzir à Índia, foi secretamente incumbido de entregar os navios portugueses aos mouros em Mombaça. Um acaso fez descobrir a armadilha e Vasco da Gama conseguiu continuar até Melinde, cujo rei lhe forneceu um piloto árabe, conhecedor do Oceano Índico.

Mais tarde, a 17 de Abril de 1498, avistou Calecute. Estava estabelecida a rota no Oceano Índico e descoberto o caminho marítimo para a Índia.

Vasco da Gama regressou a Lisboa no verão de 1499, um mês depois dos seus companheiros, pois teve de enterrar o irmão mais velho, Paulo da Gama, que adoiceu e veio a falecer na ilha Terceira, nos Açores.

D. Manuel recompensou este glorioso feito, nomeando o navegador Almirante-mor das Índias e dando-lhe uma renda de trezentos mil reis anuais, que passaria para os filhos que tivesse. Recebeu, conjuntamente com os irmãos, o título de Dom e duas vilas, em Sines e Vila Nova de Milfontes.

Navio de Vasco da GamaVoltaria mais duas vezes à Índia, de que foi governador e segundo vice-rei, para lutar contra os abusos existentes que punham em causa a presença portuguesa na região. Vasco da Gama começou a actuar rigidamente conseguindo impor a ordem, mas vem a morrer em Dezembro desse mesmo ano em Cochim, sendo os seus restos mortais trazidos para Portugal, mais concretamente para a Igreja de um convento carmelita, conhecido actualmente como Quinta do Carmo. A presença das ossadas na vila alentejana de Vidigueira prende-se com o facto de o Rei lhe ter atribuído o título de Conde de Vidigueira, em 1519.

Aqui estiveram até 1880, data em que ocorreu a trasladação para o Mosteiro dos Jerónimos, ficando ao lado do túmulo de Luís de Camões.

Vasco da Gama