Palacete de WannseeA Conferência de Wannsee foi a discussão, por um grupo de oficiais Nazis, acerca da solução final da questão Judia. Teve lugar a 20 de Janeiro de 1942 no palacete de Wannsee, com vista para o lago Wannsee, no sudoeste de Berlim e que levaria ao Holocausto.

A discussão centrou-se no objectivo de expulsão dos Judeus de todas as esferas da vida do povo Alemão e a expulsão dos Judeus do espaço de vida do povo Alemão.

Foram discutidas medidas a tomar e o conceito de deportação dos Judeus para o Leste da Europa foi introduzido: “trabalho apropriado… no curso do qual sem dúvida uma grande porção será eliminada por causas naturais”, o “resto final será…tratado de forma apropriada, porque, se libertado, iria agir como semente de uma nova restauração judaica”.

O número de Judeus na Europa foi calculado, sendo aproximadamente 11 milhões, e os métodos de evacuação foram considerados com relação à idade e ao país de origem. O tratamento de pessoas de sangue misto foi também cuidadosamente discutido.

O Dr. Josef Buhler pressionou Heydrich a implementar a solução final no Governo Geral. Tanto quanto lhe dizia respeito, o problema do Governo Geral era um mercado negro muito extenso, que desorganizava o trabalho das autoridades. Ele viu o remédio em resolver a questão judia o mais depressa possível.

A reunião é lembrada como a primeira discussão da solução final e também porque os registos e minutas dos encontros foram encontrados intactos pelos aliados no final da Segunda Guerra Mundial e usados nos Julgamentos de Nuremberga.

O protocolo da reunião foi preparado por Adolf Eichmann, ajudado por Reinhard Heydrich, não mencionando explicitamente o extermínio em massa. Eichmann admitiu mais tarde no seu tribunal que a linguagem usada durante a conferência era muito mais directa e incluía termos como extermínio e aniquilação.

Conferência de Wannsee