Domingo SangrentoNo Domingo do dia 22 de Janeiro de 1905, foi organizada uma manifestação pacífica e em marcha lenta, liderada pelo padre ortodoxo Gregori Gapone, com destino ao Palácio de Inverno do czar Nicolau II, em São Petersburgo, com o objectivo de entregar uma petição, assinada por cerca de 135 mil trabalhadores, reivindicando direitos ao povo, como reforma agrária, tolerância religiosa, fim da censura, e a presença de representantes do povo no governo. Segundo algumas fontes, durante a caminhada, eram cantadas músicas religiosas, e também a canção nacional Deus Salve o Czar.

Sergei Alexandrovitch, grão-duque, ordenou que a guarda do czar não permitisse que povo se aproximasse do palácio, e mandou-os dispersar a manifestação. Mas o povo não se mexeu. Então, a guarda, ao ver que não seria obedecida, disparou contra a multidão. A manifestação rapidamente se dispersou deixando centenas de mortos.

Este episódio ficou conhecido como o Domingo Sangrento, e foi o início de um movimento revolucionário. O povo estava indignado com a atitude do czar, que até então, era visto com bons olhos por eles.

Domingo Sangrento