LocalizaçãoFoi hoje, em 1297, consagrada a Independência do Mónaco.

A área hoje ocupada pelo Principado de Mónaco já era habitada desde a pré-história. Um rochedo, projectado sobre as águas do Mar Mediterrâneo, serviu de refúgio a várias populações primitivas. Os lígures, primeiros habitantes sedentários da região, eram montanheses acostumados a trabalhar em condições adversas. A costa e o porto eram a saída para o mar de um destes povoados lígures, Oratelli de Peille.

A região foi ocupada por fenícios, gregos e cartagineses, e em seguida pelos romanos. No final do século II a.C., o Mónaco passou a ser parte da Província dos Alpes Marítimos. Durante a ocupação, os romanos edificaram em La Turbie, o Troféu de Augusto, que celebra o triunfo das suas campanhas militares.

A partir da queda do Império Romano, no século V, a região foi invadida por diversos povos. No século VII tornou-se parte do reino lombardo e no século seguinte, do reino de Arles. Esteve sob o domínio muçulmano após a invasão dos sarracenos. A partir do século X, após a expulsão dos sarracenos pelo Conde de Provença, a região começou a ser povoada pouco a pouco.

Vários séculos e muitos conflitos depois, o Mónaco mantém a independência, sendo um Brasão de Armasdos poucos principados ainda existentes na Europa.

Recentemente, uma nova constituição, promulgada em 1962, aboliu a pena de morte, permitiu o voto feminino e nomeou uma Corte Suprema para garantir as liberdades básicas. Em Maio de 1993, o Principado tornou-se membro oficial das Organizações das Nações Unidas. O Mónaco é também sede de um GP de Fórmula 1 e do importante Instituto Oceanográfico, que já foi dirigido por Jacques Cousteau.

Principado do Mónaco