Constantino XIConstantino XI, também conhecido como Constantino Drageses, nasceu a 9 de Fevereiro de 1404 e morreu 29 de Maio de 1453. foi o último imperador do Império Bizantino, desde o dia 6 de Janeiro de 1449 até à sua morte.

O reinado de Constantino XI representa a agonia do Império Bizantino. Esta agonia traduziu-se nos acontecimentos trágicos do Império, tanto internamente quanto externamente. Internamente, equívocos nas relações eclesiásticas. Externamente, o ataque cada vez mais evidente dos turcos otomanos.

Em Fevereiro de 1451, com a morte de Murad II, assumiu o comando dos otomanos o sultão Maomé II, o seu filho. O seu objectivo claro era a conquista de Constantinopla. Para isto, fez tratados diplomáticos com possíveis aliados de Constantino XI, como a República de Veneza, além de incursões militares contra cidades que pudessem enviar socorro a Constantinopla.

Com a construção da fortaleza Rumeli-Hissar, ao norte de Constantinopla, em Agosto de 1452, Maomé II, bem munido de artilharia pesada, passou a impedir a navegação da cidade. Abandonada pelo Ocidente, sem contacto com os seus aliados e sob o peso da artilharia turca, coube a Constantino XI, sozinho, organizar a resistência. No entanto, contra os 60.000 combatentes de Maomé II, o imperador conseguiu reunir apenas oito mil soldados, sendo quase a metade deste contingente composta por estrangeiros.

No mês de Abril de 1453, começaram os bombardeamentos e as tentativas de assalto contra a cidade. A 23 de Abril, Constantino XI ofereceu a paz ao sultão, mas este recusou.

A cidade veio a cair, pondo fim ao Império milenar Romano.

Queda do Império