SudãoConhecido na antiguidade como Núbia, o Sudão é anexado ao mundo árabe na expansão islâmica do século VII. O sul escapa ao controlo muçulmano e sofre incursões de caçadores de escravos. Entre 1820 e 1822, é conquistado e unificado pelo Egipto e posteriormente entra na esfera de influência do Reino Unido. Em 1881 eclode uma revolta nacionalista chefiada por Muhammad Ahmed bin’ Abd Allah, líder religioso conhecido como Mahdi, que expulsa os ingleses em 1885.

Pouco depois Mahdi morre, tendo os britânicos regressado de imediato ao poder sudanês, em 1898. No ano seguinte, o país é submetido a um domínio egípcio-britânico. Obtém uma autonomia limitada em 1953 e a independência total em 1956.

Brasão de ArmasO Sudão é hoje o maior país da África, e está em guerra civil há 46 anos. O conflito entre o governo muçulmano e guerrilheiros não-muçulmanos, baseados no sul do território, revela as realidades culturais opostas daquele país. A guerra e prolongados períodos de seca já fizeram mais de 2 milhões de mortos.

A introdução da Sharia, a lei islâmica, causou a fuga de mais de 350 mil sudaneses para países vizinhos. Entre outras medidas, a lei determina a proibição de bebidas alcoólicas e punições por enforcamento ou mutilação.

Actualmente, um horrendo e enorme massacre está a acontecer no Sudão, nomeadamente no Darfur. Pensa-se que está quase no fim, não pela paz, mas sim porque todas as aldeias negras foram destruídas e todos os seus ocupantes mortos.

Dia Nacional do Sudão