J. Edgar HooverJohn Edgar Hoover nasceu em Washington, EUA, dia 1 de Janeiro de 1895. Durante 48 anos ele foi o chefe do FBI, a mais importante organização policial do mundo, tendo falecido no ano de 1972.

De educação luterana, formou-se em Direito aos 22 anos. Empregou-se logo em seguida no Departamento de Justiça dos Estados Unidos, onde a sua carreira foi rápida. No ano de 1919 foi indicado para investigar estrangeiros suspeitos de subversão. A sua missão resultou na expulsão do país de um grande número de pessoas. Com o sucesso, foi nomeado para trabalhar como assistente do director do FBI. Poucos anos depois, em 1924, Hoover tornou-se o chefe do Departamento.

FBI

Durante o tempo em que ficou na chefia do departamento, até sua morte, serviu 8 presidentes americanos e 18 secretários de Justiça. Mudou a história do FBI. A antiga e ineficiente organização de 657 agentes, tornou-se a maior organização policial do planeta, com mais de 16 000 funcionários, além de modernos métodos de investigação criminal. No ano da sua morte, os arquivos do FBI possuíam mais de 200 milhões de impressões digitais. Nos anos 30, a sua fama começou a crescer quando combatia gangsters famosos, como John Dillinger, Pretty Boy e Baby Face. Na mesma década, também participou na captura do raptor de filho do aviador Charles Lindenberg, facto que tomou conta da imprensa americana. Durante a Segunda Guerra Mundial, participou na caça de espiões e comunistas.

Críticas

Praticamente intocável durante a sua longa carreira, no final da sua vida passou a ser alvo de críticas da sociedade. Na década de 1960, passou mais tempo censurando o telefone de congressistas e perseguindo líderes do movimento negro do que combatendo criminosos.

J. Edgar Hoover