Sisto ISisto I

Sisto I morreu 1 de Fevereiro 125. Foi Papa entre 115 e 125, sucedendo a Alexandre I. Sisto era descendente de uma família tradicional da Elvidia (Grécia). As suas principais contribuições foram no sentido de sistematizar e normalizar os vários procedimentos sagrados nas cerimónias religiosas, como o de que qualquer objecto sagrado só poderia ser tocado por ministros sacramentados. É atribuída a Sisto a introdução do tríplice canto do Sanctus na missa, bem como as cartas apócrifas que tratam da doutrina da Trindade e ao Primado da Igreja de Roma. Também entrou em conflito com alguns procedimentos da Igreja da Ásia.

Sisto morreu em Roma e foi sucedido por São Telésforo. Os papas dão-lhe o título do mártir, embora não haja registo histórico de tal evento. Foi enterrado no Vaticano, ao lado do túmulo de São Pedro por vontade de Pascoal I. As suas relíquias foram transferidos a Alatri, e ainda estão na Basílica do Vaticano. Sisto foi canonizado santo, sendo o seu dia celebrado a 3 de Abril, juntamente com Sisto II e Sisto III, conforme citado no Livro dos Santos.

Alexandre VIIIAlexandre VIII

O Papa Alexandre VIII, nascido Pietro Vito Ottoboni, nasceu em Veneza no dia 22 de Abril de 1610 e morreu em Roma a 1 de Fevereiro de 1691. Foi eleito Papa após a intervenção do Rei francês Luís XIV, tendo chegado a um acordo com esse rei acerca da liberdade galicana.

Foi moderado no governo do Estado pontifício. Diminuiu os impostos e fez concessões aos agricultores, e foi também responsável pela ampliação da Biblioteca do Vaticano.

Sisto I e Alexandre VIII