Robert Stephenson Smyth Baden-Powell nasceu em Londres no dia 22 de fevereiro de 1857, precisamente à 150 anos, tendo vindo a falecer no Quénia no dia 8 de Janeiro de 1941. O seu pai era o Reverendo Baden Powell, professor catedrático em Oxford, a sua mãe era a filha do almirante inglês W. T. Smyth e o seu bisavô, Joseph Brewer Smyth, tinha ido como colonizador para Nova Jersey, nos EUA, mas voltou para a Inglaterra, tendo naufragado na viagem de regresso.

Robert viveu uma bela vida ao ar livre com os seus quatro irmãos, acampando com eles em vários lugares de Inglaterra.

Em 1870, Baden-Powell ingressou na Escola Charterhouse, em Londres, com uma bolsa de estudos. Não era um estudante que se destacasse dos outros, mas era um dos mais vivos. Estava sempre metido em tudo que acontecia no pátio do colégio. Os seus colegas apreciavam as suas habilidades como actor. Tinha também vocação para a música, e o seu dom para o desenho permitiu-lhe mais tarde ilustrar todas as suas obras.

Início da Carreira Militar

Aos 19 anos, Powell aceitou ir para a Índia como subtenente do Regimento de Cavalaria. Além de uma carreira excelente no serviço militar, ganhou o troféu desportivo mais desejado de toda a Índia, o troféu de caça ao javali selvagem, a cavalo, tendo como única arma uma lança curta.

Em 1887, participou na campanha contra os Zulus, e mais tarde contra as ferozes tribos dos Ashantís e os selvagens guerreiros Matabeles. Os nativos temiam-no tanto que lhe deram o nome de Impisa, o lobo-que-nunca-dorme, devido à sua coragem, à sua perícia como explorador e à sua impressionante habilidade de batedor.

As promoções de Baden na carreira militar eram quase automáticas. Era tal a regularidade com que ocorriam até que, subitamente se tornou famoso.

Já em 1899, sendo Baden-Powell um importante Coronel, quando, na África do Sul, nascera um foco de agitação entre o Governo Central e o local. Powell recebeu ordens para criar dois batalhões de carabineiros montados e marchar para Mafeking, uma cidade no coração da África do Sul.

Veio a guerra, e durante 217 dias, Powell defendeu Mafeking cercada por forças superiores do inimigo, até que tropas de socorro conseguiram finalmente abrir caminho lutando para auxiliá-lo.

Agora Major-General, era um herói. Aproveitando os seus grandes conhecimentos de vida, escreveu o brilhante livro intitulado Aids to Scouting (Ajudas à Exploração Militar). O livro acabou por ser adoptado por todas as escolas masculinas de Inglaterra.

Ideia dos Escuteiros

Se um livro para adultos sobre as actividades dos exploradores podia exercer tal atracção sobre os rapazes e servir-lhes de fonte de inspiração, outro livro, escrito especialmente para rapazes poderia despertar um maior interesse.

Baden queria estar certo de que a ideia podia ser posta em prática, e por isso, no Verão de 1907, foi com um grupo de 20 rapazes para a Ilha de Brownsea, no Canal da Mancha, para realizar o primeiro acampamento escuteiro do Mundo. Foi um sucesso.

Nos primeiros meses de 1908, lançou, em seis fascículos quinzenais, o seu manual sobre o tema sem sequer sonhar que este livro iria dar lugar aos Escuteiros de hoje.

Com o grande sucesso mundial que, em 1910, se fazia sentir em relação aos Escuteiros, Powell pediu a demissão do Exército onde era tenente-general e juntou-se aos Escuteiros. Em 1912, fez uma viagem ao redor do mundo para contactar os escuteiros de outros países.

Durante as décadas seguintes, Powell viajou por todo o mundo para presenciar o sucesso dos Escuteiros. Foi nomeado Lord pelo Rei de Inglaterra quando a população escuteira chegou aos 2 milhões. Por motivos de saúde retirou-se para África aos 80 anos, tendo vindo a falecer no Quénia no dia 8 de Janeiro de 1941, com 83 anos de idade.

150 do Nascimento de Baden-Powell (Fundador dos Escuteiros)