O foguete V2 foi o primeiro míssil balístico, tendo sido usado pela Alemanha durante as últimas fases da Segunda Guerra Mundial, principalmente contra alvos britânicos e belgas. Recebeu este nome porque era uma arma alemã que se seguiu ao V-1, uma bomba que voava como um avião a jacto.

O engenheiro alemão Wernher von Braun foi um dos principais mentores deste engenho, na estação experimental do exército alemão de Peenemünde. O verdadeiro nome do foguete era Aggregat 4 (A4), mas ficou mais conhecido pelo nome Vergeltungswaffe 2, traduzindo seria a Arma de Represália 2, dado pelo então Ministro da Propaganda Joseph Goebbels, já que as V2 eram lançadas em represália aos bombardeamentos aliados.

Dificuldades do Projecto do Foguete

Até 1942 todos os testes foram um fracasso, muito embora todo o funcionamento das V2 e dos futuros foguetes tenham sido descritos muito antes por pioneiros como Konstantin Tsiolkovsky, da URSS, e Hermann Oberth, da Alemanha Nazi. O norte-americano Robert Hutchings Goddard foi mais longe, ao construir pequenos foguetes capazes de atingir grandes altitudes.

No entanto, nada se comparava ao desafio dos mentores da V2, um foguete com 14 toneladas, lançado a 80 km de altura, desenvolvendo para isto mais de meio milhão de cavalos-vapor, tudo isto reduzido num motor de pouco mais de 1,65 m de comprimento, que pesava 450 kg.

Apesar de o V2 não ter alterado o desfecho da guerra, teve um grande impacto na moral do Reino Unido, pois não havia forma de deter os ataques dirigidos a Londres. O primeiro teste foi realizado no dia 16 de Março de 1942, tendo o protótipo explodido no lançamento.

O V2