O jornal Público nasceu em 1989, do encontro entre o projecto de um grupo de jornalistas e o grupo empresarial Sonae, tendo em vista um objectivo comum, a criação de um jornal diário que, através de uma aposta inovadora no plano editorial e tecnológico, reunisse as energias necessárias para responder ao desafio de uma informação moderna e de qualidade no espaço europeu.

Assim, no dia 5 de Março de 1990 saiu para as bancas o primeiro número do Público, que, no Estatuto Editorial, se apresentava como um diário de grande informação, orientado por critérios de rigor e criatividade editorial, sem qualquer dependência de ordem ideológica, política e económica e um projecto de informação em sintonia com o processo de mudanças tecnológicas e de civilização no espaço público contemporâneo, inscrevendo-se numa tradição europeia de jornalismo exigente e de qualidade, recusando o sensacionalismo e a exploração mercantil da matéria informativa.

Actualmente, cerca de 40 mil pessoas lêem o jornal e cerca de 20 mil pessoas por dia visitam o site do Público, que oferece não só os suplementos semanais do jornal mas também as edições dos últimos sete dias em texto integral.

Ao longo dos seus 15 anos de existência, o Público editou largas dezenas de coleccionáveis, dos quais foi pioneiro na imprensa portuguesa, em 1992, suplementos especiais, livros, enciclopédias, CDs, CD-ROMs e DVDs. Desde 1997 edita também, anualmente, o Janus, Anuário de Relações Exteriores, em colaboração com a Universidade Autónoma de Lisboa (UAL).

Parabéns Jornal Público