Gregório XVII, nome adoptado por Clemente Domínguez y Gómez, nacido a 23 de Maio de 1946 e falecido a 22 de Março de 2005, foi considerado um antipapa pela Igreja Católica, embora não tenha reclamado o título de bispo de Roma.

Pertenceu ao movimento dissidente da cidade El Palmar de Troya, na Andaluzia. A sua carreira religiosa teve início por meio de uma suposta aparição da Virgem Maria, em que Domínguez y Gómez exibia chagas corporais que, segundo ele, eram estigmas. Tornou-se figura de culto local e reclamou para si o título de papa quando da morte de Paulo VI, adoptando o nome de Gregório XVII. De acordo com sua versão, foi apontado pessoalmente por Jesus Cristo como o novo papa.

A igreja de Palmar de Troya ainda existe e hoje é considerada uma dissidência da Igreja Católica. Segundo eles, o papas em Roma após Paulo VI são todos ilegítimos. Quando da morte de Gregório XVII, em 2005, o cargo de pontífice da igreja de Palmar de Troya foi ocupado por Manuel Corral, que adoptou o nome de Pedro II.

Anti-Papa Gregório XVII