Clemente VIII, nascido Ippolito Aldobrandini, em Florença, no dia 24 de Fevereiro de 1536, morreu em Roma a 3 de Março de 1605. Clemente VIII foi Papa de 9 de Fevereiro de 1592 até à data da sua morte.

Era advogado e foi aluno de São Filipe Neri, pregava e impunha disciplina. Firmou a paz entre a França e a Espanha em razão dos conflitos entre católicos e não-crentes. Celebrou o XII Jubileu.

Em 1598 Clemente conseguiu fazer e mediar um tratado de paz entre Espanha e França, terminando um longo conflito, e negocia também a paz entre França e Sabóia. Apesar do nome Clemente, não dispunha de clemência com os bandidos que percorriam toda a Itália central, nem com quaisquer criminosos. Também sob o ponto de vista disciplinar sobre heresias foi implacável, pois foi durante o seu pontificado que Giordano Bruno foi condenado à morte na fogueira.

Em 1602, Clemente VIII, com a bula Incrustabile Divine, fundou a Propaganda. A Congregatio de Propaganda Fide criou uma poderosa palavra e actividade que seria disseminada nos séculos seguintes. Depois de definir a congregação, a palavra passou a ter o sentido de propaganda em 1680 em italiano, em 1753 em francês e em 1842 em inglês. Também foi Clemente VIII que, em 1592, encerrou o conflito em torno do texto oficial da Bíblia, publicando a Vulgata. Em 1596, reeditou o Index Librorum Prohibitorum.

Outra referência a este Papa é a Sala Clementina, situada no Palácio Apostólico do Vaticano. É um pomposo salão no segundo andar, cujo nome é uma homenagem a Clemente VIII e possui a inscrição Clemens VIII, Pontifex Maximus. Na Sala Clementina foi realizada uma parte do velório do pontífice João Paulo II em 2005.

Clemente VIII