Inocêncio XIII, nascido Michelangelo Conti, em Roma, no dia 13 de Maio de 1655, veio a falecer também em Roma, na madrugada de 7 de Março de 1724. Inocêncio foi papa entre 8 de Maio de 1721 e a data da sua morte.

Foi com grande satisfação popular dos romanos que foi eleito papa, pois decorrera já meio século em que se não elegia um romano. O novo papa completara os 66 anos de idade. Esteve 12 anos em Portugal, como Núncio.

De espírito conciliador, procurou ganhar os favores da corrente jansenista, reforçada então pelas simpatias dos galicanos. O seu pontificado é escasso em grandes eventos, decorrendo na relativa tranquilidade do apogeu do absolutismo então vigente na maior parte dos reinos europeus.

Uma certa perturbação ocorreu quando o rei português D. João V pretendeu recusar a nomeação do núncio Bichi, tendo depois exigido que o mesmo Bichi permanecesse em Portugal e fosse nomeado cardeal. Inocêncio teve de ter bastante paciência. Tomou o partido de várias ordens religiosas que desaprovavam os métodos usados pelos jesuítas nas missões, mais precisamente os chamados ritos chineses e malabáricos, ou seja, adaptações, não essenciais, do culto cristão à mentalidade dos povos da China e da Índia. O caso foi explorado pelos jansenistas contra os seus fortes adversários, os jesuítas.

Não era, portanto, favorável aos Jesuítas, tendo-os mesmo proibido de desenvolver actividades na China e suspendendo a admissão de novos membros.

Papa Inocêncio XIII