Papa Inocêncio I

Inocêncio I foi um papa eleito a 22 de Dezembro de 401, tendo falecido no dia 12 de Março de 417. Foi durante o seu pontificado que São Jerónimo terminou a revisão da tradução latina da Bíblia conhecida como Vulgata Latina, em 404.

Tendeu a unificar a Igreja ocidental em torno da praxis romana, estabelecendo a observância dos ritos romanos no Ocidente, o catálogo do livros canónicos e as regras monásticas. Enfrentou a heresia de Pelágio, tendo ratificado a condenação deste e de Celestino, defendendo também João Crisóstomo. Durante o seu pontificado, Roma foi saqueada pelos visigodos de Alarico. Conseguiu que Honório proibisse as lutas de gladiadores.

Papa Gregório I

São Gregório I, nasceu por volta de 540 e morreu no dia 12 de Março 604. São Gregório foi papa de 3 de Setembro de 590 até à data da sua morte. Era Monge Beneditino.

Gregório nasceu em Roma, vindo de uma família da aristocracia tradicional romana, filho de Gordiaus e de Santa Sílvia. Chegou a entrar numa carreira política que o levou ao cargo de equivalente a Presidente da Câmara da cidade. Porém, cerca de 575, Gregório ingressa num mosteiro e assume a vida religiosa por influência dos escritos e personalidade de São Bento. Converteu a sua casa na Colina de Caelian, no mosteiro de Santo André, e fundou seis outros nas terras da sua família, na Sicília.

Enquanto Papa Gregório foi o responsável pelo envio dos primeiros missionários para converter os anglo-saxões nas Ilhas Britânicas, tendo enviado para lá um grupo de quarenta monges beneditinos, liderados por Agostinho de Cantuária, que seria o primeiro bispo de Cantuária, e pela divulgação do tipo de música que é hoje em dia conhecido como canto gregoriano. Deixou ainda uma extensa obra escrita, incluindo sermões e comentários sobre a Bíblia, como o livro Moralia, que comenta o livro de Jó, e volumes de correspondência.

A par do Papa Leão I, foi chamado pelo povo de Magno, sendo celebrado como santo pela Igreja Católica.

Papas Inocêncio I e Gregório I