A freguesia do Lumiar foi criada a 2 de Abril de 1266 por decreto real. Mais tarde, em 1312, D. Dinis efectuou a partilha dos bens do Conde de Barcelos, ficando para D. Afonso Sanches, o seu filho bastardo e genro do Conde, uma quinta e casa de Campo no Lumiar, a que se passou a chamar Paços do Infante D. Afonso Sanches. No reinado de D. Afonso IV, esta residência nobre adquiriu a designação de Paço do Lumiar, a qual ainda hoje se mantém. No inicio do séc. XVIII, era definido o Lumiar como um sítio de nobres quintas, olivais e vinhas, sendo os principais frutos da terra o vinho, trigo, cevada e o azeite. Em meados do séc. XIX, realizavam-se no Lumiar três feiras anuais, todas muito concorridas, especialmente a de Santa Brígida, em que havia romaria e benção do gado. De 1852 a 1886, esta freguesia esteve integrada no concelho dos Olivais, sendo finalmente incorporada no território da Cidade de Lisboa, a 18 de Julho de 1885.

A Freguesia do Lumiar