A Glasnost, de 1988, foi uma medida política implementada juntamente com a Perestroika, na URSS, durante o governo de Mikhail Gorbachov. A Glasnost contribuiu em grande parte para a intensificação de um clima de instabilidade, causado por agitações nacionalistas, conflitos étnicos e regionais e por uma agravada insatisfação económica, sendo um dos factores da queda da URSS.

O Conceito

Enquanto no Ocidente a noção da Glasnost está associada com a liberdade da expressão, o principal objectivo desta política foi tornar o Governo Russo transparente e aberto para debater vários assuntos da sociedade russa.

A Glasnost deu novas liberdades à população, como uma maior liberdade do discurso, uma modificação radical, visto que o controlo dos discurso e supressão da crítica ao Governo tinham sido anteriormente uma parte central do sistema soviético. Houve também um maior grau da liberdade dentro dos meios de comunicação.

Até ao final dos anos 80, o governo soviético estava debaixo de fogo devido às críticas de repressão, derivadas da ideologia Leninista, que Gorbachev tinha tentado conservar como fundamento da reforma, e os membros da população soviética foram mais francos na sua visão de que o governo soviético não ia bem. A palavra Glasnost em russo significa “transparência”.

A Glasnost