Fernão de Magalhães nasceu na Primavera de 1480 e faleceu no dia 27 de abril de 1521. Magalhães foi um navegador português que, ao serviço do rei de Espanha, comandou a expedição marítima que efectuou a primeira viagem de circum-navegação ao globo. Foi também o primeiro a dobrar estreito hoje conhecido por o Estreito de Magalhães, e o primeiro europeu a navegar no Oceano Pacífico. Fernão de Magalhães morre nas Filipinas durante a expedição, posteriormente chefiada por Juan Sebastián.

Alista-se com 25 anos na armada que foi à Índia, comandada por Francisco de Almeida, embora o seu nome não figure nas crónicas. Sabe-se no entanto que ali permaneceu durante oito anos, que esteve em Goa, Cochim, Quíloa, que acompanhou Diogo Lopes de Sequeira a Malaca, viagem que acabou em naufrágio. No Oriente, Magalhães estabeleceu estreitas relações de amizade com Francisco Serrão, que veio a ser feitor nas Molucas.

Tendo-se distinguido na defesa de Azamor, em que acompanhara o duque de Bragança, pediu a D. Manuel uma recompensa para os seus feitos. Porém, os boatos que corriam sobre a maneira pouco escrupulosa como dividira as presas de uma incursão tinham chegado aos ouvidos do Rei. Este, apesar das suas justificações, e não o considerando culpado, não lhe concedeu as mercês pedidas.

Em 1517 foi a Sevilha com Rui Faleiro, tendo encontrado no feitor da Casa de la Contratación da cidade um adepto do projecto que entretanto concebera, que consistia em dar a Espanha a possibilidade de atingir as Molucas pelo Ocidente, por mares não reservados aos portugueses no Tratado de Tordesilhas e, além disso, segundo Faleiro, provar que as ilhas das especiarias se situavam no hemisfério castelhano. Com a influência do bispo de Burgos conseguíram a aprovação do projecto por parte de Carlos V, e começaram os morosos preparativos para a viagem, cheios de incidentes.

Depois da ruptura com Rui Faleiro, Magalhães continuou a trabalhar nos cinco navios que, com 256 homens de tripulação, partiram de Sanlúcar de Barrameda a 20 de Setembro de 1519. A esquadra tinha cinco navios e era tripulada por 250 homens.

Fernão de Magalhães