Gnaeus Pompeius, o Jovem, nasceu no ano de 75 a.C. e morreu a 12 de Abril 45 a.C.. Também conhecido como Pompeio, o Jovem, foi um político romano da segunda metade do século I a.C., no período tardio da República.

Gnaeus era o filho mais velho do general Pompeio e da sua terceira mulher Mucia Tertia. Juntamente com o seu irmão mais novo, Sextus Pompeius, cresceu à sombra dos feitos militares e políticos do pai, na altura líder dos Optimates, a facção conservadora do senado romano. Quando Júlio César atravessou o Rubicão em 49 a.C., dando início à guerra civil, Gnaeus Pompeius seguiu os conservadores na fuga para Este. Os Optimates foram derrotados na batalha de Pharsalus e os sobreviventes tiveram que fugir para evitar a captura. A família Pompeius procurou asilo no Egipto, mas foram traídos e Pompeio acabou assassinado a 29 de Setembro de 48 a.C.

Após a morte do pai, Gnaeus e Sextus juntaram-se à resistência unida sob a liderança de Cato e Metellus Scipio, no Norte de África. César foi no seu encalço e em Fevereiro de 46 a.C. voltou a vencer os conservadores na batalha de Thapsus. Metellus Scipio morreu na batalha e Cato suicidou-se pouco depois, mas os irmãos Pompeius conseguíram fugir com Titus Labienus, primeiro para as Ilhas Baleares, depois para a Hispânia.

Este grupo representava agora a última resistência a César. Os Optimates conseguíram recrutar várias legiões romanas e reunir apoios em muitas cidades hispânicas. Os dois exércitos encontraram-se em Março de 45 a.C. na batalha de Munda. O resultado do confronto foi uma clara vitória de César e o fim da guerra civil. Labienus morreu em batalha mas, mais uma vez, os irmãos Pompeius conseguíram fugir. Porém, com a vitória de César na guerra civil, foi difícil encontrar apoios.

Gnaeus Pompeius foi capturado pouco depois e executado por traição a 12 de Abril. O seu irmão Sextus conseguiu escapar, desconhecendo-se o seu paradeiro após esta data.

Gnaeus Pompeius