Da vida do Papa São Júlio I pouco se conhece, além de que era romano. Sabe-se que o seu pontificado foi marcado pelas lutas arianas e semiarianas. São Júlio I foi eleito Papa a 6 de Fevereiro de 337 e promoveu alguns dogmas. Foi o primeiro a reivindicar primazia sobre as igrejas orientais. No Outono de 341, convocou um concílio a que assistiram 50 bispos com o propósito de se pronunciar, de novo, contra o arianismo e condenar a quem depunha bispos conforme era conveniente.

Quando faleceu Constantino I, o Grande, o Império Romano dividiu-se entre os seus três filhos. Um deles, Constantino II, desapareceu da história e sobraram como imperadores os outros dois, Constâncio, no Oriente e Constante no Ocidente. Enquanto Constante era católico, Constâncio era ariano. Em 350, Constante foi assassinado e o Império reunifica-se sob Constâncio, que desenvolveu uma fortíssima perseguição à Igreja. Porém, o Papa Júlio I morre a 12 de Abril de 352.

Júlio I fixou a 25 de Dezembro a solenidade do Natal, para a Igreja do Oriente. É considerado o fundador do arquivo da Santa Sé, tendo ordenado a conservação dos documentos.

Papa São Júlio I