A bandeira europeia consiste num circulo com doze estrelas douradas num fundo azul. Apesar da bandeira estar normalmente associada à União Europeia, foi inicialmente usada pelo Conselho da Europa, e pensada para representar a Europa como um todo.

A bandeira foi originalmente adoptada pelo Conselho da Europa a 8 de Dezembro de 1955. O Conselho da Europa desejava, desde o início, que fosse usada por outras organizações regionais que procurassem a integração europeia. A Comunidade Europeia adoptou-a a 26 de Maio de 1986. A UE, que se estabeleceu pelo Tratado de Maastricht na década de 1990 e que veio a substituir a CE e as suas funções, também escolheu esta bandeira no dia 26 de Maio de 1986. Desde então o uso da bandeira tem sido conjuntamente controlado quer pelo Conselho da Europa quer pela União Europeia.

A bandeira aparece na face de todas as notas de euro e as estrelas em todas as moedas de euro.

O número de estrelas na bandeira estão fixas a doze e não estão relacionadas com o número de estados membros da UE. Em 1953, o Conselho da Europa tinha 15 membros, tendo sido proposto que uma bandeira futura tivesse uma estrela para cada membro, e não se alteraria com a entrada de futuros membros. A Alemanha Ocidental discordou já que um dos membros era a área disputada de Saarland e que ter a sua própria estrela implicaria ser uma região soberana. Nesta mesma base, a França também discordou que fossem 14 estrelas já que isso implicaria a absorção de Saarland na Alemanha. Treze está tradicionalmente relacionado com o azar em várias culturas europeias, e com o facto de que as primeiras bandeiras dos Estados Unidos da América terem esse número de estrelas. Doze foi o número escolhido já que não tinha conotações políticas e era um símbolo de perfeição e de algo completo.

Doze é um número especial nas várias culturas e tradições europeias, tais como:

  • 12 signos do Zodíaco;
  • 12 horas num relógio;
  • 12 meses num ano;
  • 12 apóstolos;
  • 12 deuses olímpicos;
  • 12 tábulas da Lei Romana.
A Bandeira da União