O Príncipe D. Afonso de Portugal nasceu a 18 de Maio de 1475, em Lisboa, e morreu em consequência de uma queda de cavalo no dia 13 de Julho de 1491. D. Afonso era o único filho e herdeiro de D. João II e de D. Leonor, reis de Portugal. A ilha de Príncipe, de São Tomé e Príncipe, foi baptizada em sua homenagem pelo Rei, seu pai.

Ainda em criança, D. Afonso casou com a princesa Isabel de Aragão, filha mais velha dos reis católicos. Isabel I de Castela e Fernando II de Aragão tinham um herdeiro, Juan, que era um jovem frágil que não deveria chegar à idade adulta. A princesa Isabel era, portanto, a herdeira mais provável das coroas de Castela e Aragão e, como estava casada com o Príncipe herdeiro de Portugal, adivinhava-se uma união dos reinos ibéricos sob a alçada de Portugal. Os reis católicos tentaram manobrar diplomaticamente para dissolver o casamento, sem sucesso, dada a influência portuguesa junto do Papa. A sua causa estava aparentemente perdida, quando um acidente salvou Castela e Aragão de uma anexação.

Afonso morreu em circunstâncias misteriosas, de uma queda de cavalo durante um passeio à beira do Tejo. A hipótese de assassinato nunca foi provada, mas os reis católicos tinham tudo a ganhar com este desaparecimento. Ainda para mais, o aio castelhano do jovem Afonso desapareceu para Castela no próprio dia, depois de ter sido a única testemunha ocular do incidente. Depois da morte de D. Afonso, D. João II nomeou como sucessor o Duque de Beja, seu primo, que viria a governar como D. Manuel I de Portugal.

O Príncipe D. Afonso de Portugal