A Legio I Italica, ou seja, a Primeira Legião Italiana, foi uma legião romana recrutada pelo Imperador Nero em 66 AD. O último registo da actividade desta legião data do início do século V, na fronteira do Danúbio, sendo o seu símbolo um javali.

A I Italica foi apresentada por Nero à cidade de Roma no dia 22 de Setembro de 66, uma data que mereceu referência em diversas fontes pela originalidade dos seus legionários, todos com mais de 1,80 metros de altura. A legião destinava-se a servir nas campanhas que Nero planeava para a Arménia, mas que nunca chegaram a ser concretizadas. Quando estes planos fracassaram, a legião foi mobilizada para as províncias da Gália. No ano dos quatro imperadores, em 69, a I Italica apoiou Vitélio ao longo de toda a guerra civil, até à derrota frente a Vespasiano. Após a pacificação do Império, Vespasiano deslocou a legião para a Moésia, onde ficaram nos séculos seguintes aquartelados em Novae.

A I Italica esteve presente durante a campanha de Trajano, na Dácia, onde, segundo as fontes da época, participou na construção de uma ponte sobre o Danúbio. As actividades de construção foram uma constante na história desta legião, que contribuiu também para a muralha de Antonino, por volta de 140, e para as fortificações do Limes Transalutanus, ao longo do Danúbio, já no século III.

Legio I Italica