Ao longo dos tempos, os vários regimes russos nunca dispensaram a atuação de uma polícia política, que esteve presente em todas as etapas da sua evolução, independentemente do regime.

O KGB, mais precisamente o Komitet Gosudarstvenno Bezopasnosti (Comité de Segurança do Estado, em português), era a principal agência política de informação e segurança da antiga União Soviética, que desempenhava em simultâneo as funções de polícia secreta do governo soviético.

O KGB surgiu após a Segunda Guerra Mundial, no período da Guerra Fria, apesar das suas origens internas remontarem a 1917, quando Félix Djerjinsky fundou o grupo paramilitar cognominado Tcheka.

Esta agência funcionou oficialmente entre 13 de Março de 1954 e 6 de Novembro de 1991.

O domínio de actuação do KGB, durante a Guerra Fria, pode ser comparado à combinação dos serviços secretos da Central Intelligence Agency (CIA – agência internacional) e da Federal Bureau of Investigation (FBI – agência doméstica), organizações norte-americanas, ainda que estas sem uma componente necessariamente politizada.

O atual Presidente Putin foi Director para os Assuntos Externos do KGB, durante o fim da União Soviética. Em 1991, renunciou ao cargo no KGB para prosseguir uma carreira política.

Komitet Gosudarstvenno Bezopasnosti (KGB)