Tancredo da Galileia, ou Tancredo de Hauteville, nasceu no ano de 1072 e faleceu no dia 12 de Dezembro de 1112, tendo sido um líder da Primeira Cruzada, tendo-se tornado príncipe da Galileia e regente do Principado de Antioquia. Tancredo era filho de Ema de Apúlia, sobrinho de Boemundo de Taranto, e neto de Roberto Guiscardo com Alberada de Buonalbergo.

Em 1096, Tancredo juntou-se ao seu tio Boemundo na Primeira Cruzada. Em Constantinopla, os líderes cruzados foram pressionados por Aleixo I Comneno a cederem ao Império Bizantino as terras que conquistassem aos muçulmanos. Apesar de os outros líderes terem jurado sem tencionar cumprir a promessa, Tancredo recusou-se sequer a fazer o juramento. No ano seguinte, ao participar no cerco de Niceia, viu a cidade ser tomada pelo exército de Aleixo, devido a negociações secretas com os turcos. Mais tarde no mesmo ano, tomou Tarso e outras cidades da Cilícia, e participou do cerco a Antioquia, em 1098.

No ano seguinte, durante o ataque a Jerusalém, Tancredo, tal como Gastão IV de Béarn, reclamou a honra de ter sido o primeiro cruzado a entrar na cidade, na madrugada de 15 de Julho. Ambos fizeram centenas de prisioneiros muçulmanos, dando protecção a alguns destes no telhado do Templo de Jerusalém. Mas na manhã seguinte ordenou aos cruzados o massacre dos refugiados no templo, muçulmanos e judeus, homens e mulheres.

Quando se estabeleceu o Reino de Jerusalém, Tancredo recebeu o Principado da Galileia, vassalo desse reino. No entanto, Tancredo renunciou ao seu principado para se tornar regente de Antioquia em 1100, quando o seu tio Boemundo foi aprisionado pelos danismendidas. Expandiu o território do principado ao tomar terras dos bizantinos, apesar de na década seguinte Aleixo tentar, sem sucesso, subjugá-lo ao controlo do seu império.

Tancredo permaneceu regente de Antioquia, então em nome do seu primo Boemundo II até à sua morte em 1112, durante uma epidemia de febre tifóide. Era casado com Cecília de França, filha do rei Filipe I de França, mas morreu sem gerar descendência.

Tancredo da Galileia