No dia 22 de Janeiro de 1905, um Domingo, foi organizada uma manifestação pacífica, liderada pelo padre ortodoxo e membro da Okrana, Gregori Gapone, com destino ao Palácio de Inverno do Czar Nicolau II, em São Petersburgo, com o objectivo de entregar uma petição, assinada por cerca de 135 mil trabalhadores, reivindicando direitos ao povo, como a reforma agrária, a tolerância religiosa, o fim da censura e a presença de representantes do povo no governo.

Porém, Sergei Alexandrovitch, grão-duque, ordenou que a guarda do Czar não permitisse que o povo se aproximasse do palácio, e mandou-os dispersar a manifestação. No entanto, visto que os manifestantes não se desmobilizaram, a Guarda Imperial abriu fogo, causando centenas de mortos. Este episódio ficou conhecido como o Domingo Sangrento.

Domingo Sangrento