Como referiu uma estimada Senhora de Idade que Passou por Aqui, comentando uma publicação recente sobre a história do Lápis, em Portugal o seu fabrico é mais recente, mas não menos importante:

Como referido no site da VIARCO, a origem do fabrico dos lápis de carvão em Portugal teve início em 1907, quando o Conselheiro Figueiredo Faria juntamente e o Engenheiro francês Jules Cacheux constroem uma fábrica em Vila do Conde, a Faria, Cacheux & Companhia, também apelidada de Portugália.

No entanto, como tantas indústrias da altura, a entrada de Portugal na Grande Guerra e as subsequentes crises nacionais, e mais tarde a crise mundial (a Grande Depressão), contribuiram para um considerável abrandamento da produção. Porém, em 1931, Manoel Vieira Araújo, um industrial de Aveiro, compra a fábrica e expande a comercialização e o negócio, criando a marca que ainda hoje existe: a VIARCO.

Em 1941, durante bons anos para a empresa, a VIARCO desloca-se para as actuais instalações em São João da Madeira, Aveiro, levando vários funcionários de Vila do Conde até à nova localização. Só mais tarde, devido ao sucesso do negócio durante os anos 70 é que a fábrica torna-se uma unidade independente e é formalizada a VIARCO – Indústria de Lápis, Lda.

Também segundo informações do site oficial, “actualmente a Viarco pretende recuperar o edifício que alberga um grande espólio de arqueologia industrial, adaptando-o para receber as muitas visitas que lhe são solicitadas, construir o Museu do Lápis e diversos ateliers para jovens artistas em início de carreira. A prática e o estabelecimento de parcerias com instituições ligadas à educação, cultura e solidariedade que criem dinâmicas de benefício social é outra das prioridades da empresa.”

Apesar do grande sucesso e da comercialização, nos dias de hoje a Viarco continua a ser a única fábrica de Lápis em Portugal.

A História Nacional do Lápis