A 16 de Novembro de 1940, as ordens do Governador-Geral da Polónia estavam cumpridas: todos os judeus de Varsóvia viviam segregados do resto da população, num sector próprio da cidade, cercado por altos muros e vedações.

Construção do Muro do Gueto, em 16 de Novembro de 1940
Construção do Muro do Gueto, em 16 de Novembro de 1940

Atingindo o pico de quase 400 mil habitantes, o Gueto de Varsóvia foi o maior do seu género. Inicialmente ainda em contacto restrito com o mundo exterior, permitindo que alguns dos seus habitantes saíssem para trabalhar noutras partes da cidade, rapidamente o gueto foi isolado do mundo.

Gerido pelo Judenrat, um Conselho Judeu, os habitantes desta cidade dentro de uma cidade estavam entregues à sua sorte, com poucos ou nenhuns alimentos, medicamentos ou condições. Alguns faleceram de fome ou doença, a maior parte assassinados no local ou em campos de concentração.

Controlo da população judaica, por soldados alemães.
Controlo da população judaica, por soldados alemães.

Do gueto, nada restou: após uma tentativa de sublevação civil, contra o isolamento forçado, realizada por alguns membros da comunidade judaica, Adolf Hitler ordenou a transferência dos habitantes remanescentes para campos de concentração, e a destruição total do gueto.

Isolamento do Gueto de Varsóvia