Ruínas de Lisboa - Após o terramoto, os sobreviventes viveram em tendas nos arredores da cidade, como ilustra esta gravura alemã de 1755.
Ruínas de Lisboa - Após o terramoto, os sobreviventes viveram em tendas nos arredores da cidade, como ilustra esta gravura alemã de 1755.

O Grande Terramoto de 1755 ocorreu no dia 1 de Novembro de 1755, resultando na destruição quase completa da cidade de Lisboa, capital do Império Português, e atingindo ainda grande parte do litoral do Algarve. O sismo foi seguido de um tsunami e de múltiplos incêndios, principalmente devido às construções amontoadas e desgovernadas de madeira no centro histórico de Lisboa, tendo feito certamente mais de 10 mil mortos. Os geólogos modernos estimam que o sismo de 1755 atingiu a magnitude 9 na escala de Richter, o que explica o elevado nível de destruição, quase total.

O Terramoto de Lisboa provocou grandes alterações políticas e sociais, com a ascensão do Marquês de Pombal, bem como dando origem aos primeiros estudos científicos do efeito de um terramoto numa área alargada, marcando assim o nascimento da moderna Sismologia.

Em menos de um ano já não se encontravam em Lisboa ruínas e os trabalhos de reconstrução iam adiantados. Na época perguntaram ao Marquês de Pombal para que serviam ruas tão largas, ao que este respondeu:

“Um dia hão-de acha-las estreitas”

O Grande Terramoto de 1755