Fotografia de época de Serpa PintoAlexandre Alberto da Rocha de Serpa Pinto nasceu a 20 de Abril de 1846 na cidade de Lisboa, tornando-se num famoso explorador e num brilhante Administrador colonial português.

Nascido na freguesia de Tendais, no Concelho de Cinfães, Serpa Pinto ingressou no Colégio Militar com apenas 10 anos e aos 17 já era um aluno Comandante de Batalhão, demonstrando a sua capacidade de liderança e de destreza militar. Alexandre viajou pela primeira vez até África em 1869, numa expedição ao rio Zambeze, integrando uma coluna de quase mercenários, cujo objectivo era o de enfrentar as milícias do Bonga. Porém Serpa Pinto integrava a coluna como técnico, avaliando a rede hidrográfica e a topografia local. Mais tarde, em 1877, explorou a zona entre a costa oeste de Angola e a costa leste de Moçambique, liderando uma expedição que partiu de Benguela, em Angola. A expedição terminou em 1879, tendo atravessado as bacias do rio Congo e do Zambeze, Angola e partes das actuais Zâmbia, Zimbabwe e África do Sul.

A expedição de Serpa Pinto tinha como objectivo fazer o reconhecimento do território e efectuar o mapeamento do interior do continente africano, para demarcar a zona que Portugal reclamaria para si através do famoso Mapa Cor-de-rosa, cujo foi obsoleto devido ao ultimato britânico de 1888. Em reconhecimento dos seus serviços prestados ao País, Serpa Pinto foi nomeado Cônsul-Geral para o Zanzibar em 1887 e Governador-Geral de Moçambique em 1889.

Tanto o Rei D. Luís I, como o seu filho Carlos I de Portugal, nomearam-no seu Ajudante de Campo e o segundo concedeu-lhe, em duas vidas, o título de Visconde de Serpa Pinto. A vila de Menongue, no sudeste de Angola, foi chamada Serpa Pinto até 1975 em alusão a este explorador. Ainda novo, já depois de ter servido Portugal de várias maneiras, desde explorador, a Deputado no Parlamento Nacional, a Governador das Províncias, as suas constantes viagens e aventuras pelo continente africano debilitaram a sua saúde, tendo vindo a a falecer no dia 28 de Dezembro de 1900.

Serpa Pinto