A Batalha de Monte Castello, perto da cidade italiana de Bolonha, foi travada quase no final da Segunda Guerra Mundial, entre as tropas Aliadas e as forças do Exército Nazi, que tentavam conter o seu avanço no Norte da Itália. Esta batalha marcou a presença da Força Expedicionária Brasileira no conflito.
A batalha arrastou-se por três meses, de 24 de Novembro de 1944 a 21 de Fevereiro de 1945, durante os quais se efectuaram seis ataques, com grande número de baixas devido a vários factores, entre os quais as temperaturas extremamente baixas. Quatro dos ataques não tiveram êxito, por falhas de estratégia.

Porém, a 20 de Fevereiro de 1945, as tropas da Força Expedicionária Brasileira iniciaram as manobras de combate com seus três regimentos prontos para partir rumo ao Monte Castello. Após intensos tiroteios, a batalha foi vencida. Grande parte do sucesso da ofensiva foi creditada à Artilharia Divisionária Brasileira, comandada pelo General Cordeiro de Farias e às Forças Expedicionárias Brasileiras.

Nos dias de hoje esta batalha é frequentemente ignorada. Porém foi um momento decisivo para a reconquista total de Itália e libertação do sul da Europa, objectivo alcançado graças aos grandes esforços dos bravos combatentes brasileiros.

Batalha de Monte Castello