Clemente XIIIClemente XIII, nascido Carlo della Torre Rezzonico, nasceu em Veneza a 7 de Março de 1693 e morreu em Roma a 2 de Fevereiro de 1769. Foi Papa de 6 de Julho de 1758 ate a sua morte.

Nasceu em Veneza e era filho do barão João Batista della Torre Rezzonico e de Vitória Barbarigo. No início do pontificado, Clemente XIII escreveu cartas aos soberanos da Europa, empenhados na guerra dos Sete Anos. O novo Papa conseguiu extinguir a velha animosidade entre a sua cidade natal, e a sede do Papado, Roma. Socorreu o povo na carestia de 1764, acolhendo 14 mil pessoas. Obrigou os latifundiários dos Estados Papais a plantarem as suas terras. Mandou velar nos museus as obras artísticas de consideradas por alguns realismo exagerado. Controlou abusos de copistas, que se serviam dos Arquivos romanos. Reprovou o livro em que João Nicolau de Hontheim, escondido atrás do pseudónimo de Justinus Febronius, atacava a soberania do Papa.

A negação de toda a Religião, pregada sob a capa de racionalismo por Voltaire, Rousseau e outros, desencadeou a perseguição aos batalhadores da Igreja, os Jesuítas. Em Portugal, o Marquês de Pombal implicou-os num atentado contra o Rei D. José, originando o Processo dos Távoras e a expulsão de todos os Jesuítas para o Brasil.

Clemente XIII