Busto de Heliogábalo, nos Museus Capitolinos

Heliogábalo nasceu durante o ano de 203, também conhecido como Marco Aurélio Antonino, foi um Imperador Romano da Dinastia Severa que reinou de 218 a 222, durante apenas 4 curtos anos. Nascido Sexto Vário Avito Bassiano, na Síria, serviu como Sacerdote do Deus El-Gabal na sua cidade natal, Homs.

Em 217, o Imperador Caracala foi assassinado e substituído pelo seu Prefeito do Pretório, Marco Opélio Macrino. A tia materna de Caracala, Júlia Mesa, instigou com sucesso uma revolta entre a Terceira Legião para ter o seu neto mais velho, Heliogábalo, declarado Imperador. Macrino foi derrotado no dia 8 de Junho de 218, na Batalha de Antioquia, depois da qual Heliogábalo, com apenas catorze anos de idade, ganhou o poder imperial e começou um reinado envolto em controvérsias.

Durante o seu reinado, Heliogábalo mostrou desinteresse e desrespeito às tradições religiosas Romanas e tabus sexuais. Casou-se cinco vezes e diz-se que se prostituía no palácio imperial. Heliogábalo substituiu Júpiter, rei dos deuses no Panteão Romano, com um novo Deus, Deus Sol Invictus, e forçou membros importantes do governo de Roma a participarem em rituais que celebravam esta divindade, liderados por ele próprio.

Entre crescente oposição, Heliogábalo, com apenas 18 anos, foi assassinado e substituído pelo seu primo Alexandre Severo no dia 11 de Março de 222, numa conspiração feita pela sua avó, Júlia Mesa, e membros da Guarda Pretoriana. Heliogábalo criou uma reputação entre os seus contemporâneos devido a ser excêntrico e decadente, o que foi provavelmente exagerado pelos seus sucessores e rivais políticos. Esta propaganda espalhou-se e, como resultado, Heliogábalo é um dos Imperadores Romanos mais demonizados pelos primeiros historiadores.

Heliogábalo