Fotografia do Tenente-General antes da sua partida para Iwo Jima

O Tenente-General Tadamichi Kuribayashi nasceu a 7 de Julho de  1891 e suicidou-se no dia 22 de Março de 1945, enquanto Comandante da defesa japonesa em Iwo Jima,  durante a imponente Batalha de Iwo Jima. Kuribayashi nasceu numa família samurai. No início de 1928, Tadamichi passou 2 anos num centro militar em Washington, onde pôde observar o poder industrial dos Estados Unidos.

Em Junho de 1944, o então Tenente-General foi escolhido pelo Imperador Hirohito para liderar a defesa da ilha de Iwo Jima. Na noite anterior à sua partida, reuniu-se em particular com o Imperador para lhe avisar sobre a importância dos EUA não tomarem o local.

No dia 16 de Fevereiro de 1945, três divisões de Fuzileiros dos EUA desembarcaram na ilha, dando continuidade à Operação Detachment. Kuribayashi ordenou às suas tropas que cada um deveria abater 10 soldados americanos ou um tanque antes de tombar, recusando-se a deixá-los participar em ataques suicidas. Ao invés disso, preferiu utilizá-los em táticas de guerrilha.

“Continuamos a lutar”, comunicou Kuribayashi por rádio a 22 de Março. “As forças sobre o meu comando são agora quatrocentas. Tanques estão a atacar as nossas posições. O inimigo sugeriu através de altifalantes que nos rendêssemos, mas os oficiais e o restante dos homens riram-se e não deram atenção…” – esta foi a sua última mensagem. Os Estados Unidos declararam Iwo Jima segura a 26 de Março, 1945.

A história do General Kuribayashi tornou-se mundialmente conhecida sessenta anos após a Batalha de Iwo Jima, através do filme Cartas de Iwo Jima, que descreve a sua odisseia através de cartas encontradas nas cavernas da ilha, anos depois, escritas por soldados e oficiais antes e durante a batalha e nunca enviadas. O filme, dirigido por Clint Eastwood, sucesso de crítica e bilheteira, ganhou o Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro, visto apesar ser uma produção norte-americana é falado em japonês, de 2006.

Tenente-General Tadamichi Kuribayashi