Alguma vez questionou a razão para um “patrocinador” de um artista, pintor, escultor, um apoiante das artes, ser apelidado de um Mecenas? Deve-se a um Cidadão Romano chamado de Caio Cílnio Mecenas (em latim, Gaius Cilnius Maecenas), nascido em 70 a. C.

Mecenas foi um grande político, estadista e patrono das Letras. Administrou a fortuna da sua rica família e foi um conselheiro hábil e de confiança do Imperador César Octaviano, o qual se fez muitas vezes representar por Maecenas como seu tribuno, orador, patrono e amigo pessoal para várias missões políticas.

Mais tarde, ao se aposentar da vida pública, dedicou os seus esforços ao seu círculo literário famoso, que incluiu Horácio, Virgílio, e Propertius, patrocinando-os com amizade, bens materiais e protecção política.

Aos seus protegidos, provou ser um amigo e um patrono eficiente e generoso.

Na actualidade, o seu nome é o símbolo do patronato rico, generoso das artes. Assim o nome Mecenas tornou-se de nome próprio em nome comum. Assim hoje, considera-se um mecenas uma pessoa que patrocina/apoia as artes, a ciência ou o ensino, muitas vezes com benefícios fiscais, não sendo o caso no Império Romano.

O ilustre protector das artes faleceria em 8 d. C., ainda que sem confirmação oficial, da data exacta. Na cultura popular, o seu dia é celebrado a 7 de Novembro.

Caio Cílnio Mecenas