António de Oliveira Salazar - Presidente do Conselho de Ministros
Organismo resultante da Constituição de 1933 e do início oficial do Estado Novo, a A Polícia de Vigilância e Defesa do Estado (PVDE) foi uma polícia social e política do Estado Português, que funcionou entre 1933 e 1945. Entre várias funções, a PVDE tinha como principais competências a vigilância das fronteiras, o controlo de estrangeiros, a fiscalização da emigração e a segurança do Estado.

Criada oficialmente no dia 29 de Agosto de 1933, através do Decreto-Lei n.º 22 992, a sua actuação estava restrita ao território continental português, ou metrópole. Apenas com a reorganização administrativa de 1945 e a criação da PIDE, é que a actuação da polícia política passou a abranger todo o território português.

Nos seus primeiros anos de actividade, a PVDE concentrou-se em perseguir e capturar todos os “inimigos da Nação”, nomeadamente comunistas, anarquistas e desertores espanhóis. Esta organização foi extinta em 1945, dando origem à mais famosa PIDE.

Ao contrário do que tradicionalmente se diz, a Polícia Política não exercia qualquer função de censura ou repressão dos media, estando esta função a cargo dos Serviços de Censura e, a partir de 1944, do Secretariado Nacional de Informação.

Polícia de Vigilância e Defesa do Estado