Bartolomeu Dias

Bartolomeu Dias nasceu cerca de 1450 e faleceu no dia 29 de Maio de 1500. Dias foi um célebre navegador português. Dele não se conhecem os antepassados. Alguns historiadores afirmam que é descendente de Dinis Dias, escudeiro de D. João I e como navegador descobrira Cabo Verde em 1445. Ignora-se onde e quando nasceu, no entanto alguns sustentam ter nascido em Mirandela, em Trás-os-Montes. Sobre a sua família sabe-se apenas que um parente Dinis Dias e Fernandes, na década de 1440, terá comandado expedições marítimas ao longo da costa do Norte de África, tendo visitado as ilhas de Cabo Verde.

Na sua juventude terá frequentado as aulas de Matemática e Astronomia na Universidade de Lisboa e serviu na fortaleza de São Jorge da Mina. Estava habilitado quer a determinar as coordenadas de um local, quer a enfrentar tempestades e calmarias como as do Golfo da Guiné.

Em 1486, D. João II confiou-lhe o comando de duas caravelas e de uma Naveta de mantimentos com o intuito público de saber notícias do Preste João. O propósito não declarado da expedição seria investigar a verdadeira extensão para Sul das costas do continente africano, de forma a avaliar a possibilidade de um caminho marítimo para a Índia. Antes disso, Dias capitaneara um navio na expedição de Diogo de Azambuja ao Golfo da Guiné.

Bartolomeu era um marinheiro experiente, tendo sido o primeiro a chegar ao Cabo das Tormentas, baptizando-o em 1488, sendo este um dos mais importantes acontecimentos da história das navegações. A expedição partiu de Lisboa em Agosto de 1487, levando a bordo dois negros e quatro negras, capturados por Diogo Cão na costa ocidental africana. Bem alimentados e vestidos, seriam largados na costa oriental para que testemunhassem junto daquelas populações daquelas regiões a bondade e grandeza dos portugueses, e ao mesmo tempo recolher informações sobre o reino do Preste João. Em Dezembro atingiu a costa da actual Namíbia, o ponto mais a sul cartografado pela expedição de Diogo Cão. Continuando para sul, descobriu primeiro a Angra dos Ilhéus, sendo atacado, em seguida, por um violento temporal. Treze dias depois, procurou a costa, encontrando apenas o mar. Aproveitando os ventos vindos da Antárctica que sopram vigorosamente no Atlântico Sul, navegou para nordeste, redescobrindo a costa, que aí já tinha a orientação este-oeste e norte. Continuou para leste, cartografando diversas baias da costa da actual África do Sul, e chegando até à baia de Algoa.
 
Dias acompanhou a construção dos navios e integrou a esquadra de Vasco da Gama, em 1499, como capitão de um dos navios. A expedição partiu em 1497 e passou por São Jorge da Mina. Em 1500, acompanhou Pedro Álvares Cabral na famosa viagem em que este descobriu o Brasil. Quando a frota seguia para a Índia, o navio em que ia Bartolomeu Dias naufragou e o valente marinheiro achou a morte junto da sua descoberta mais famosa, o Cabo da Boa Esperança.

Bartolomeu Dias foi o primeiro navegador a navegar longe da costa no Atlântico Sul. A sua viagem, continuada por Vasco da Gama, abriu o caminho marítimo para a Índia. Em 1500 foi o principal navegador da esquadra de Pedro Álvares Cabral. A carta de Pero Vaz de Caminha faz diversas referências a Dias, apontando para a confiança que nele tinha o capitão-mor. Quando a armada de Cabral navegava em direcção ao Cabo, após a sua estada no Brasil, um forte temporal causou o naufrágio de quatro naus, entre elas a sua.