Zita de Bourbon-Parma, a Última Imperatriz

Zita de Bourbon-Parma nasceu em Viareggio, na Itália, a 9 de Maio de 1892, e morreu na  Suíça no dia 14 de Março de 1989. Zita foi princesa do ducado italiano de Bourbon-Parma e a última imperatriz da Áustria, bem como Rainha da Hungria.

Era filha do Duque Roberto de Bourbon-Parma e da Infanta de Portugal D.Maria Antónia de Bragança. Aos 19 anos, em 21 de Outubro de 1911, casa com o Arquiduque Carlos de Habsburgo, neto de um dos irmãos do imperador Francisco José da Áustria. Em 1914, o marido de Zita torna-se herdeiro do trono do Império Austro-Húngaro, após o assassinato, em Sarajevo, do Arquiduque Francisco Fernando, o seu tio.

O casal chega ao trono austríaco após a morte do velho imperador, em 1916, encontrando um país em guerra e à beira da dissolução. A imperatriz Zita terá sido favorável à negociação de uma paz separada com a França, o que não veio a suceder. Aquando da derrota na guerra e consequente abolição da monarquia e dissolução do império, Zita partiu com o marido e os filhos para o exílio, primeiro em Madrid e depois na ilha da Madeira, onde Carlos veio a falecer, em 1922.

Mantendo-se fiel à herança da Dinastia Habsburgo, Zita assumiu a educação dos seus filhos, regendo-se pelos princípios da sua antiga corte imperial. Viveu exilada em Espanha, França, Bélgica, Canadá e Estados Unidos, embora sem nunca renunciar à sua condição de Imperatriz da Áustria, país a que somente foi autorizada a regressar em 1982, sendo entusiasticamente recebida pela população em Viena.

Faleceu com 97 anos, em 1989, tendo sido sepultada, em funerais oficiais no panteão dos Habsburgo, em Viena.