Tiberius Claudius Nero Cæsar

Estátua do Imperador

Tibério Cláudio Nero César nasceu no dia 16 de Novembro, em 42 a.C., tornando-se num dos mais famosos e infames imperadores de Roma.

Sendo o segundo pertencente à dinastia Julio-Claudiana, sucedendo a César Augusto, Tibério não era descendente directo do seu antecessor. Pertencendo à família Claudii, um destacado cla da aristocracia romana, era filho de Tiberius Claudius Nero e de Livia Drusa, sendo irmão de Druso.

A sua mãe separou-se do pai enquanto ele e o irmão eram bastante jovens, para casar com o Imperador Augusto.

O Imperador Augusto adoptou-o como filho e, apesar de algumas hesitações, nomeou-o sucessor. À medida que foi crescendo, Augusto confiou-lhe tarefas de maior responsabilidade, até tornar-se o General-Supremo das Legiões estacionadas na Germânia Inferior, um dos postos mais importantes do império.

Enquanto Imperador, Tibério implementou diversas reformas políticas e sociais, fortalecendo Roma e os seus domínios. Um político astuto, optou por não adoptar o título de Imperador, acrescentando apenas o apelido de Augusto ao seu nome, conquistando a boa vontade do povo (não o vendo como um tirano) e das elites.

Enfraquecido pela idade, muitos rivais políticos de Tibério aproveitaram a oportunidade para eliminar diversos membros da família dos Júlios (descendentes do primeiro Imperador) e da própria família directa de Tibério.

Perto da sua morte, o Imperador estava completamente paranóico, temendo o mesmo destino: não sendo visto em público e deixando de confiar nos seus adidos e generais. O imperador morreu de causas naturais em 16 de Março, 37 d.C..

Deixou o trono ao sobrinho-neto Calígula e ao neto Tibério Gemelo, em partilha de funções.